Home » Destinos » Reino Unido » As termas romanas de Bath, na Inglaterra
Reino Unido

As termas romanas de Bath, na Inglaterra

Termas romanas de Bath, na Inglaterra
Compartilhe este texto!

Quando alguém decide visitar a Inglaterra o que vem em mente são sempre palácios, castelos e ônibus vermelhos de dois andares. Poucos imaginam que, ao visitar a Inglaterra, seria possível também visitar ruínas romanas, pois muita gente não sabe que o Império Romano chegou ao país. Mas sim, o Reino Unido de hoje fez parte do tour romano na Idade Antiga e é possível ver complexos que estão entre a lista de monumentos mais importantes do país. Os principais deste são as termas romanas de Bath, ou “The Roman Baths” em inglês, em uma linda cidade a um pouco mais de uma hora de distância de Londres.

Mais sobre o Império Romano na Inglaterra: York, na Inglaterra: a histórica cidade ao norte do país.

Como nós sempre nos interessamos por história, e especialmente pelo Império Romano, ao descobrirmos que existia uma joia como as termas romanas em Bath, na Inglaterra, logo a colocamos em nossa lista de cidades a visitar.

Planeje sua viagem: Veja uma seleção de hotéis e reserve sua estadia em Bath

Para se entender um pouco sobre a presença dos romanos na Inglaterra

Termas romanas de Bath, na Inglaterra
Como eram as termas originais

Já havíamos visto ruínas romanas antes em Barcelona e, especificamente no Reino Unido, na cidade de York, no norte da Inglaterra, mas em nenhuma das duas era possível ver a dimensão real de um prédio romano. Em Bath pela primeira vez pudemos caminhar em um edifício romano, naquele que formava as Termas Romanas de Bath.

A região de Bath já era conhecida pelo povo celta por suas águas termais, e um santuário ali foi erguido em homenagem à deusa Sulis, entidade atribuída à cura de pragas. Reza a lenda que um rei bretão foi ali curado da lepra após mergulhar em suas águas.

Termas romanas de Bath, na Inglaterra
Resquícios da imagem da deusa Sulis Minerva

Com os romanos conquistando o que vieram a chamar de Britânia, no ano de 75 d.C., sob ordem do imperador Vespasiano, foram construídos espalhados pela área alguns templos e as termas romanas de Bath formando um pequeno assentamento ao redor delas. O nome dado à cidade foi de Aquae Sulis, ou as águas de Sulis. Os romanos, com muita sabedoria, agregavam a cultura dos povos que caiam sob seu regime, e nesse caso, passaram a associar Sulis à deusa Minerva (ou Atena, na mitologia grega).

Visitando outras cidades britânicas: Liverpool, a cidade dos Beatles, nas Inglaterra.

As termas romanas de Bath (The Roman Baths)*

Termas romanas de Bath, na Inglaterra

Chamamos as termas romanas de Bath, assim, no plural, porque a edificação contava com três diferentes tipos de banhos: os quentes (em latim caldarium), os mornos (tepidarium) e os frios (frigidarium). Cada um deles possuía um propósito medicinal e atraía pessoas de várias partes do Império Romano que queriam se curar ou se manter saudáveis. Hoje em dia sabe-se que as águas em nada modificavam a saúde dos que ali nadavam, sendo apenas um mito e moda da época.

Termas romanas de Bath, na Inglaterra
Tepidarium
Termas romanas de Bath, na Inglaterra
Caldarium
Termas romanas de Bath, na Inglaterra
Frigidarium repleta de moedas

Hoje preservadas, as termas romanas de Bath são uma das atrações mais visitadas no Reino Unido. Consideradas Patrimônio Mundial da UNESCO, foram redescobertas no século XVIII, restauradas e abertas ao público, mas sem ser possível se banhar, pois as suas águas atualmente são classificadas como impróprias devido ao alto índice de chumbo e à contaminação radioativa que sofreram durante a Primeira Guerra Mundial.

Mesmo sem poder experimentá-las do modo como os romanos faziam, a visita é muito impactante, ajudando a entender como o local funcionava há milênios atrás.

Na entrada o visitante recebe um áudio-guia que explica cada ponto importante do complexo. Detalhes voltados ao entendimento das crianças também estão disponíveis no local.

A primeira parte do complexo abriga o museu, com inúmeras salas repletas de relíquias. Durante todo o trajeto até a grande terma, passamos por várias alas onde podemos ver objetos recuperados, como moedas que eram arremessadas nas águas, esculturas romanas, manuscritos e lápides. Além disso, reconstruções feitas no computador permitem ao visitante comparar virtualmente o ambiente em que ele está ao que era no passado. Tudo muito bem planejado e executado.

Termas romanas de Bath, na InglaterraTermas romanas de Bath, na InglaterraTermas romanas de Bath, na Inglaterra

O ponto final do passeio é na grande terma, uma enorme piscina de coloração verde cercada de uma fileira de colunas em estilo romano. Lá se encontram funcionários do Roman Baths vestidos de romanos e se comportando como tal. É muito impressionante sentar na beira da piscina e tentar imaginar o passado acontecendo ali, com romanos vindos de longe para se banharem todos juntos ali, na Inglaterra, um país tão frio.

Termas romanas de Bath, na Inglaterra

Ao encerrar o passeio, não deixe de passar na Pump Room e beber das águas direto das fontes. Quentinha e com gosto de ferro. Eca!

Termas romanas de Bath, na InglaterraTermas romanas de Bath, na Inglaterra

O prédio que circunda as termas foi projetado no século XIX em estilo neoclássico, sendo depois expandido no estilo vitoriano, em um trabalho que envolveu dois renomados arquitetos, pai e filho, ambos chamados John Wood. Os Wood são responsáveis pela famosa revitalização arquitetônica de Bath, o que a torna única na Inglaterra.

E afinal, de onde surgem essas águas quentes?

Termas romanas de Bath, na Inglaterra

As águas que brotam nas termas romanas de Bath provêm das chuvas que penetram o subsolo, sendo filtradas naturalmente a quase quatro mil metros de profundidade e aquecidas pela aproximação com o núcleo terrestre, chegando a quase cem graus Celsius! Depois, a pressão a faz voltar também naturalmente à superfície através de uma falha geológica, desembocando cerca de um milhão e cento e setenta mil litros nas termas diariamente.

Termas romanas de Bath, na InglaterraTermas romanas de Bath, na Inglaterra

Os romanos, naquela época, foram capazes de canalizar as águas vindas das profundezas e usá-las para o que mais gostavam de fazer, se banhar.

Conhecendo mais termas ao redor do mundo: O paraíso das focas em Canterbury, na Nova Zelândia.

 

*Larissa e Carlos visitaram as termas romanas de Bath a convite do The Roman Baths.

ORGANIZE SUA VIAGEM!

HOSPEDAGEM
No Booking.com estão cadastradas as melhores opções de hotéis e albergues. Reserve com direito a cancelamento gratuito e viaje com mais tranquilidade.
SEGURO VIAGEM
Com a Seguros Promo é possível comparar a cotação de diversas companhias, garantindo o melhor custo/benefício na contratação. Use o cupom VIDACIGANA5 e receba 5% de desconto em seu seguro viagem
ROAD TRIP
Alugue um veículo com a RentCars.com para sua viagem. Compare os preços de diferentes locadoras, pague em Reais, sem IOF e parcelado em até 12 vezes.

Compartilhe este texto!

Sobre o Autor

Larissa

Larissa é nascida em Niterói/RJ, mas já estudou em Nova York e morou na Nova Zelândia por um ano antes de iniciar a volta ao mundo que terminou em 2016. Sonhando em viajar desde que se entende por gente, mantinha um caderno cheio de recortes de jornais e revistas sobre o Egito quando tinha 7 anos de idade. Hoje esse caderno é virtual e engloba vários destinos. Os “recortes” são produzidos por ela e pelo Carlos, semanalmente, no Vida Cigana.

Deixe seu comentário

Clique aqui para deixar um comentário.

House Sitting

publicidade

Close