Home » Planejamento » Como fotografar a Via Láctea em 6 passos (com câmera profissional ou celular)
Planejamento

Como fotografar a Via Láctea em 6 passos (com câmera profissional ou celular)

Como fotografar a Via Láctea: a Via Láctea no meio da foto na horizontal com árvores no canto direito

Ao viajar para lugares afastados, em cantos remotos do mundo, muitos viajantes se veem diante do céu mais estrelado de suas vidas. Nestas horas, em especial àqueles aficionados por fotografia, saber como fotografar a via láctea e as estrelas de nossa galáxia em todo o seu esplendor é essencial para conseguir voltar para casa com uma lembrança inesquecível de uma experiência que já não é mais possível de ser vivida por quem mora nas grandes cidades.

Para saber como fotografar a Via Láctea é preciso ter um mínimo de técnica, mas hoje em dia, com toda a tecnologia em nossas mãos, já é possível capturar as estrelas até mesmo com o celular.

Nós já pudemos visualizar a Via Láctea a olho nu em vários pontos do mundo e nos apaixonamos pelas técnicas de fotografia do céu noturno, a astrofotografia.

Abaixo, deixamos aqui um passo a passo básico para quem quer se iniciar nesta área, trazendo de recordação fotos de suas próximas viagens do céu estrelado.

Como fotografar a Via Láctea?

Como fotografar a Via Láctea. A galáxia no lado direito da imagem subindo pelo céu, um barco ancorado em um pequeno porto e algumas árvores no canto esquerdo
O céu da Nova Zelândia

Para conseguir fotografar a Via Láctea é preciso reunir um conjunto de fatores, técnicos, climáticos e atmosféricos, para que a experiência dê certo. Muitos deles são imprescindíveis para que se obtenha uma foto decente, então é preciso um mínimo de estrutura e de muita paciência.

O equipamento necessário

Claro que para esta tarefa, ter uma câmera profissional, com controle manual, já ajuda e muito no processo, mas hoje em dia é possível fotografar com o celular também. Basta baixar um aplicativo que mude as configurações da câmera do aparelho móvel para manual. Ou seja, você PRECISA ter uma câmera que te permita controlar manualmente suas funções.

Fora isso, as configurações e maneiras de fotografar a Via Láctea são as mesmas, tanto para câmera quanto para celular.

1.     Escolha o local a ser fotografado

Como fotografar a Via Láctea: a galáxia no meio da foto bem iluminada

Para conseguir fotografar a Via Láctea, antes de tudo você precisa estar no lugar certo na hora certa. Estar em um local afastado das grandes luzes da cidade é imprescindível. Ou você já conseguiu ver a Via Láctea do Rio ou São Paulo? Duvido. A proximidade das luzes artificiais impede o olho humano (e a câmera) de enxergar as luzes celestiais.

Para escolher bem o local, baixe um mapa que mostre a poluição luminosa no mundo. Minha recomendação é o Light Pollution Map que é gratuito. Ao visualizar o mapa, quanto mais clara for a área, mais visibilidade celestial você terá. Ou seja, fuja das áreas marcadas com cores saturadas.

Outra informação a ser considerada é o hemisfério a ser fotografado. A Via Láctea fica mais visível em quase toda sua extensão no hemisfério sul do planeta. Isso não impede que você tente fotografá-la no norte, mas a galáxia só estará à vista da metade ao sul do céu, enquanto no hemisfério sul ela se espalha sobre toda a cabeça.

2.     Escolha o dia a ser fotografado

A igreja mais famosa da Nova Zelândia a noite
Em dias de lua cheia é praticamente impossível capturar a galáxia

O dia também vai dizer muito sobre se será possível capturar a Via Láctea ou não, por conta do clima e da previsão do tempo. Dias nublados devem ser riscados por motivos óbvios, as nuvens esconderão as estrelas, não importa onde você esteja.

Outro fator a ser levado muito em conta é a lunação. Saber em qual fase da lua estará no dia que você escolher para fotografar é de suma importância. Evite os dias de lua cheia, pois será praticamente impossível capturar as estrelas com tanta luz vinda do nosso satélite natural.

Os melhores dias para se fotografar a Via Láctea são os de lua nova, mas nada impede que você tente fotografar em dias de crescente ou minguante também, caso não tenha outra opção.

Independente da fase da Lua, vale também checar os horários de nascer e pôr do satélite terrestre. Mesmo em dias de lua cheia, por exemplo, é possível fotografar a via láctea em horários onde a Lua esteja abaixo do horizonte.

Para ver esses detalhes do céu, existe outro aplicativo chamado Photo Ephemeris, que também é gratuito.

3.     Aprenda a localizar a Via Láctea no céu

Não é sempre que a Via Láctea está presente no céu, depende bastante da época do ano. No verão é certo de ver a galáxia, mas o horário em que ela nasce e se põe muda bastante de mês a mês (sim, estrelas nascem e põem também, assim como o sol).

Caso você não consiga obter uma boa imagem da Via Láctea por estar fora do período que ela está amostra, nada te impede de tirar fotos de outras constelações. Para isso, é importante baixar o aplicativo chamado Stellarium, que também é gratuito e mapeia o céu inteiro.

4.     Escolha o equipamento fotográfico

Como fotografar a Via Láctea: A Via Láctea subindo por trás de uma casa iluminada pelos postes a noite

A escolha do equipamento fotográfico ditará se será possível fotografar a Via Láctea ou não. Câmeras profissionais, tanto DSLR quanto mirroless farão o trabalho perfeitamente caso você as regule corretamente.

Já nos celulares é preciso baixar um aplicativo gratuito chamado Camera FV-5. Ele adapta a câmera do celular para o modo manual, e aí sim você terá liberdade para regular da melhor forma. Sem isso é impossível fotografar a Via Láctea com o aparelho móvel.

Outra informação importante também é possuir um celular relativamente novo. Não adianta nada querer fotografar o céu com um aparelho antigo, pois o aplicativo nem sequer será compatível. Caso você possua um celular comprado dos anos 2016 pra cá, já costuma ser o suficiente.

As lentes são muito importantes na composição também. Quanto maior a abertura do diafragma, mais luz entra na câmera, e melhor ela consegue capturar em ambientes com pouca luz, o que é perfeito nesse caso.

E para encerrar, outro item indispensável nessa lista é o tripé. Não importa se for câmera profissional ou celular. Por causa da regulagem usada na câmera para capturar a Via Láctea, ela precisará ficar extremamente estática para evitar qualquer balanço, caso contrário a imagem sairá borrada.

Caso queiram saber, todas essas nossas fotos da Via Láctea foram tiradas com uma Canon 6D e uma lente 24-70mm f/2.8.

5.     Regule a câmera para fotografar a Via Láctea

A Via Láctea no meio da foto

Após ter escolhido o local, o dia, ter visto a previsão do tempo, as fases da lua, ter localizado a Via Láctea e ter a câmera e tripé em mãos, é hora de saber regular para que a foto saia perfeita.

Fotografe em .RAW, caso possível, que é o arquivo cru da câmera, sem a compressão que existe nos arquivos .JPEG. Ela permitirá uma melhor edição posteriormente.

Caso tenha uma DSLR, coloque-a em modo live view, onde é possível ver a imagem em antemão no sensor da câmera. No celular a imagem irá se formar na tela de qualquer forma, como qualquer foto tirada nele.

Ache uma estrela bem brilhante no céu e foque nela no manual, assim você deixará sua foto o mais nítida possível. Outra opção é deixar o foco no infinito, mas nesse caso ainda há sempre o risco da imagem não sair totalmente focada.

Comece testando as imagens. Tente inicialmente com o ISO 3200 para que a imagem tenha menos ruídos. A partir do ISO, regule a abertura e a velocidade. Quanto maior a abertura, melhor, e quanto mais lenta a velocidade, também. O segredo da fotografia é saber balancear essas 3 informações. Use como teste, junto com o ISO 3200, a abertura 2.8 e a velocidade de 20 segundos. A partir dessa primeira foto com essa primeira regulagem, você poderá estudar se precisa alterar alguma das configurações.

Caso precise modificar a regulagem, tente deixar a abertura como está e mude somente o ISO e a velocidade. Tome cuidado com o ISO alto demais, pois ele pode granular a imagem. Evite também exceder os 30 segundos de exposição ou você começará a capturar o movimento das estrelas no céu.

6.     Trate as melhores imagens na pós-edição

A Via Láctea subindo por trás de uma casa com árvores no entorno

Depois de dezenas de fotos tiradas, é hora de jogar as imagens no computador ou no celular e tratá-las para realçar suas características. Nessa hora o arquivo .RAW fará muita diferença no resultado final.

Eu utilizo os programas Lightroom e Photoshop, ambos da Adobe. Já no celular, gosto de editar com o VSCO e o Snapseed.

Tenha em mente que menos é mais. Quanto mais intervenções você fizer, mais artificial e com baixa qualidade ficará sua imagem.

Salve estas dicas de fotografia no Pinterest!

Saiba o passo a passo necessário para fotografar a Via Láctea com câmera profissional e celular. Todas as dicas, melhores ajustes e programas para trazer de volta de sua viagem as melhores fotografias do céu estrelado.
Todas as dicas para fotografar a Via Láctea com a câmera que tiver em mãos. O passo a passo, melhores programas e aplicativos para fazer seus melhores registros do céu.
 

ORGANIZE SUA VIAGEM!

PASSAGEM AÉREA

Use o Kayak para descobrir qual empresa tem as passagens aéreas mais baratas para sua viagem.

HOSPEDAGEM

No Booking.com estão cadastradas as melhores opções de hotéis e albergues. Reserve com direito a cancelamento gratuito e viaje com mais tranquilidade.

Já no Hotéis.com você pode parcelar o pagamento das diárias em até 12x!

AIRBNB

Já experimentou alugar um apartamento no Airbnb? Ganhe até R$180 em créditos para usar em sua primeira reserva no site.

SEGURO VIAGEM

Use nosso Comparador de Seguro Viagem. Com nossa parceria com a Seguros Promo, vamos te ajudar a encontrar os melhores planos de seguro para o seu destino. Use o cupom VIDACIGANA5 e receba 5% de desconto na hora do check out.

ROAD TRIP

Alugue um veículo com a RentCars.com para sua viagem. Compare os preços de diferentes locadoras, pague em Reais, sem IOF e parcelado em até 12 vezes.

Sobre o Autor

Larissa

Larissa é nascida em Niterói/RJ, mas já estudou em Nova York e morou na Nova Zelândia por um ano antes de iniciar a volta ao mundo que terminou em 2016. Sonhando em viajar desde que se entende por gente, mantinha um caderno cheio de recortes de jornais e revistas sobre o Egito quando tinha 7 anos de idade. Hoje esse caderno é virtual e engloba vários destinos. Os “recortes” são produzidos por ela e pelo Carlos, semanalmente, no Vida Cigana.

4 Comentários

Todos os comentários serão moderados previamente conforme as políticas do blog. Serão publicados e respondidos apenas após aprovação.

Clique aqui para deixar um comentário.

  • Boa noite, Larissa.
    Acabei de ler seu post sobre Chernobyl, espetacular.
    Gostaria de saber se já foram para Berlim? Cracóvia e Auschwitz?
    Última pergunta rsrsrs, Europa em janeiro é mta roubada ou dá pra aproveitar?

    • Oi Guilherme, obrigada por seu comentário!
      Nunca fomos para a Alemanha nem para a Polônia, mas está na lista.
      Sobre janeiro na Europa, depende muito de onde você esteja pensando em ir. Tem países que vão estar bem frios e escurecendo bem cedo, outros nem tanto. Mas sempre dá para aproveitar, se tiver disposição para turistar no frio.

House Sitting

vida cigana blog youtube house sitting

vida cigana blog youtube house sitting
rbbv abbv
Banner Seguros Promo

publicidade

hospedado por infinite cloud computing