Home » Destinos » Cuba » O que fazer em Havana: 30 atrações bairro a bairro
Cuba

O que fazer em Havana: 30 atrações bairro a bairro

O que fazer em Havana: posar com um dos milhares de carros antigos pelas ruas da cidade

Ao procurar o que fazer em Havana antes de sair de viagem o viajante se encontrará, inicialmente, bastante perdido. Toda a dificuldade se deve ao fato da capital de Cuba, assim como todo o país, ainda ser uma incógnita no mundo atual. Um dos países mais controversos e diferentes no mundo, Cuba há anos rompe barreiras e conquista cada vez mais turistas, que desembarcam no país querendo ver suas ruas paradas no tempo e aproveitar suas paradisíacas praias caribenhas.

Controversa ou não, é difícil não sair mexido da capital cubana, sendo para o bem ou para o mal. Na lista abaixo, vamos mostrar que uma vez em Cuba, ninguém fica indiferente ou sem ter o que fazer em Havana.

Leia mais: Para viajar para Cuba o seguro viagem é obrigatório para todos os turistas.

Havana, a capital mais controversa das Américas

O que fazer em Havana

Uma cidade que resiste ao tempo como se ainda estivesse em plena década de 1950. Um lugar onde o charme se mistura à decadência, onde edifícios majestosos estão lado a lado com prédios que parecem prestes a colapsar. Uma cidade onde todos estão de olho em você, querem conversar com você, contar sobre a vida e saber sobre a sua. Havana é um lugar único no mundo.

Havana é a capital de Cuba, um dos países mais controversos e isolados do mundo. Isolado não por sua geografia, mas em relação à economia e política externa. Cuba está do ladinho dos Estados Unidos, mas desde a Revolução Cubana sofre um embargo do vizinho rico, que não concorda com a forma como o país insular é governado e o deixou congelado por seis décadas (e contando).

Ao procurar o que fazer em Havana, não pense só nos pontos turísticos. Visite Havana de mente aberta, converse muito, tente entender como funciona a vida ali. É como montar um quebra-cabeça, mas no final você verá que estará, sem querer, já planejando um retorno. É impossível ficar indiferente.

Leia mais: Como organizar um Roteiro por Cuba para uma viagem perfeita

O que fazer em Havana, 30 atrações bairro a bairro

O que fazer em Havana: passear por suas ruas

A capital de Cuba é um lugar repleto de opções turísticas para quem está visitando. Belas praças da época dos espanhóis, museus dedicados à Revolução Cubana, tours em carros antigos, e até praias caribenhas podem entrar em seu roteiro. Tudo isso pode ser feito sem sair de Havana.

Fizemos uma lista com 30 atrações essenciais para quem procura o que fazer em Havana e as dividimos de acordo com os bairros e regiões da cidade onde estão localizadas:

Havana Vieja

Havana Vieja é a parte mais antiga, mais movimentada e a que mais atrai os turistas. É aqui que o dinheiro do turismo está sendo investido com mais intensidade, especialmente na reforma dos antigos edifícios coloniais.

Ninguém nunca fica sem ter o que fazer em Havana Vieja, com bares, restaurantes e atrações que podem consumir dias de seu roteiro pela cidade e ainda te fazer voltar pra casa sem ter visto tudo. Grande parte das atrações de Havana Vieja está e não está relacionada aqui ao mesmo tempo. Há edifícios, ruas, praças, assim como detalhes da urbanização e coisas que não são listáveis que só serão conhecidas saindo às ruas e vivendo a cidade. Perca-se pelas ruas de Havana Vieja e irá entenderá o que é a Cuba do século XXI.

1. Plaza de la Catedral

O que fazer em Havana: Uma das 4 praças mais importantes da cidade é a Plaza de la Catedral

A Praça da Catedral é uma das mais bonitas de Havana. Com seu calçamento de paralelepípedos, ao seu redor estão divinas edificações em estilo barroco. Entre elas estão a linda Catedral de la Vírgen María de la Concepción Inmaculada de la Habana e os palácios que fecham a praça em um quase perfeito retângulo. Uma vez lá, não deixe de almoçar ou jantar em um dos maravilhosos “paladares” (como são chamados os restaurantes familiares em Cuba) do Callejón del Chorro, e visitar o Taller Experimental de Gráfica, um galpão onde artistas produzem arte gráfica bem ali, ao vivo.

2. Plaza de Armas

O que fazer em Havana: Uma das 4 praças mais importantes da cidade é a Plaza de Armas

A Praça de Armas é a mais antiga da cidade e uma das mais arborizadas também, cheia de palmeiras em seu centro. Ali hoje fica o Palacio de los Capitanes Generales, onde antes funcionava uma igreja. A transformação se deu devido à proximidade da praça ao Castillo de la Real Fuerza e à necessidade de espaço para treinamentos militares. É uma praça muito agradável, com uma feira de livros usados de segunda a sábado e pertinho do mar.

3. Castillo de la Real Fuerza

O que fazer em Havana: O Castillo de la Real Fuerza fica do lado da Plaza de Armas

O Castillo de la Real Fuerza é a fortaleza mais antiga das Américas e fica bem ao lado da Plaza de Armas, com ótimas vistas para o mar. No topo de sua torre do lado oeste fica um catavento de bronze em formato de uma mulher, que é a mesma estampada nas garrafas de Havana Club, o rum mais famoso do mundo. A estátua se chama La Giraldilla e é uma cópia, estando seu original no Museo de la Ciudad. Caminhe pelo forte e tire belas fotos.

4. Plaza Vieja

O que fazer em Havana: A Plaza Vieja é uma das 4 praças mais importantes da cidade

Ao contrário do que o nome diz, a Plaza Vieja não é a mais velha da cidade (a Praça de Armas é a mais antiga), mas é uma das mais bonitas e agradáveis. Com prédios coloridos em seu entorno, uma linda fonte e ótimos restaurantes, incluindo uma microcervejaria, é o local perfeito para sentar, tomar uma bebida e tirar altas fotos de seus belos prédios.

Em mais detalhes: As meninas do blog Tô Pensando em Viajar fizeram parte da viagem por Cuba com a gente e escreveram sobre as cervejarias de Havana.

5. Plaza de San Francisco de Asís

O que fazer em Havana: A Plaza de San Francisco de Asís é uma das mais importantes de Havana

A agradável e espaçosa Praça de São Francisco de Assis fica em frente ao porto de Havana, e possui prédios elegantes em seu entorno. Destaca-se também o calçamento feito em paralelepípedo intercalado com mármore.

Por ali, o que antes era a Igreja e Monastério de São Francisco de Assis, hoje é uma casa de concertos de música clássica e um museu de arte religiosa. Durante a colonização de Cuba, os navios atracavam bem ali, e os monges não aguentaram tanto barulho e decidiram se mudar. Antes de entrar, repare na estátua do Cabellero de Paris, feita em homenagem a um homem que sofria de uma doença mental e vagava pelas ruas de Havana sempre bem vestido.

6. Calle Obispo

O que fazer em Havana: A Calle Obispo é a mais importante e famosa da cidade

A Calle Obispo não pode ficar de fora na hora de decidir o que fazer em Havana. Ela é a rua mais famosa da cidade e onde a vida turística acontece. Por ser uma rua de pedestres, ela é bem tranquila e certamente você irá caminhar por ela praticamente todos os dias sem nem perceber. Cheia de lojas, umas enormes, outras com pequenas portinhas de venda de suvenires, a Calle Obispo está sempre em movimento. Ali é possível tirar fotos com mulheres vestindo as famosas batas cubanas – vestidos usados para dançar rumba -, e ouvir muita salsa por cada restaurante que passar.

7. La Bodeguita del Medio

O que fazer em Havana: tomar um mojito na famosa La Bodeguita del Medio

Simplesmente o bar mais famoso de Cuba, o La Bodeguita del Medio ganhou fama pelas celebridades que costumavam beber por lá antes da revolução, entre elas o escritor Ernest Hemingway, que tomava sempre seu mojito ali. Além dele, Salvador Allende, Nat King Cole e o próprio Fidel Castro eram frequentadores assíduos do ressinto. Ao planejar o que fazer em Havana uma visita a La Bodeguita del Medio é obrigatória devido à toda a sua história. Conheça a boemia de Havana e deixe seu nome escrito entre os outros milhões nas paredes do bar.

8. El Floridita

O que fazer em Havana: tomar um daiquirí no famoso El Floridita

Assim como o La Bodeguita del Medio é o templo do mojito, o El Floridita é o templo do daiquirí. Ali foi criado o drink logo após a Primeira Guerra Mundial e o responsável pela popularização foi o mesmo Ernest Hemingway, que ia até ali e virava 13 doses duplas (!) antes de ir embora. Seu nome vem do número de americanos que ali frequentava vindos da Flórida, estado americano pertíssimo de Cuba.

9. Hotel Ambos Mundos

O que fazer em Havana: visitar o Hotel Ambos Mundos

Outro ponto da lista do que fazer em Havana cujo sucesso se deve a Hemingway. O Hotel Ambos Mundos é conhecido por ter sido o lugar escolhido pelo escritor para se hospedar em Havana no período em que vivieu na cidade. Ali ele teria escrito sua obra Por quem os sinos dobram, livro que Fidel Castro leu durante a guerrilha. É possível ver pelo lado de fora seus aposentos e tomar café e drinks no belíssimo e nostálgico lobby do hotel. Aproveite e veja Havana de cima do terraço do hotel tomando um mojito.

10. Museo del Ron

O que fazer em Havana: Visitar o Museu do Rum

Já um pouco afastado do núcleo central de Havana Vieja, na Fundación Havana Club fica o Museu do Rum, onde visitas bilíngues apresentam a produção da bebida, do início ao fim. Pode ser interessante entender cada etapa do destilado até chegar até a sua mesa, mas o valor assusta um pouco, sendo uma atração cara para o que apresenta. Vale a pena caso tenha CUCs sobrando ou para quem for muito fã da bebida.

11. Mercado Artesanal

O que fazer em Havana: comprar lembrancinhas no Mercado Artesanal

O Mercado Artesanal é onde se compra qualquer tipo de lembrancinha que estiver procurando em Havana (tirando rum e charutos, estes devem ser comprados em locais específicos). No Mercado Artesanal é possível encontrar de tudo, de camisas com o rosto de Che Guevara a pinturas feitas em cima de capas de jornais revolucionários. Caso queira levar um presente cubano para amigos ou para você, este é o lugar.

Centro Havana

Centro Havana é um trecho mais residencial da cidade, com a maior parte de seus edifícios convertidos em habitações. O trecho mais próximo de Havana Vieja, no entanto, concentra grandes edifícios institucionais, como o Capitólio e os maiores museus da cidade, incluindo o Museo de la Revolución, fazendo valer uma visita.

12. Capitólio

O que fazer em Havana: ir até o incrível Capitólio

O Capitólio de Havana é o edifício mais icônico da cidade e o mais curioso, pois é praticamente uma réplica do capitólio de Washington, nos Estados Unidos, só que mais exuberante. Foi a sede do governo desde sua construção, na década de 20, até a Revolução Cubana. Hoje é a sede da Academia Cubana de Ciências e da Biblioteca Nacional de Ciência e Tecnologia.

Há anos o Capitólio está em reformas devido à dificuldade em trazer os materiais importados com os quais ele foi construído e às prioridades do governo cubano em onde gastar o dinheiro. Conforme a restauração avança, aos poucos cada ala vai sendo reformada e reaberta. No momento em que visitamos a cidade era possível visitar a ala leste do prédio.

13. Real Fabrica de Tabacos Partagás

A Fabrica de Tabacos Partagás é uma das mais antigas do país, fundada em 1845. Hoje, seu prédio está em restauração devido à má conservação, mas sua loja continua funcionando, sendo um dos melhores e mais seguros locais de Havana para comprar charutos (não compre charutos oferecidos na rua!). A loja em si também é muito aconchegante e vale a pena pelo clima de filme de máfia.

Hoje, a produção de charutos é feita em outra localidade de Centro Havana, na esquina da rua San Carlos, e tours guiados são feitos em vários horários durante o dia (é preciso antes comprar um voucher, em alguma das agências de viagem cubanas). Ao programar o que fazer em Havana, uma visita a uma fábrica de charutos não pode ficar de fora, pois lá pode-se ver todo o processo, desde a folha de tabaco bruta até o encaixotamento do produto.

14. Parque Central

O que fazer em Havana: visitar o Parque Central
Vista do Parque Central do terraço do Hotel Manzana

O Parque Central de Havana é imenso e cercado de prédios majestosos. Ali fica o Hotel Inglaterra (onde se hospedou José Martí, maior herói cubano), o Capitólio e o Hotel Manzana Kempinski, cujo terraço à noite oferece vistas magníficas do parque e drinks com preços bem acessíveis. Suba até lá e curta um lado mais sofisticado e moderno de Havana.

Do Parque Central é de onde partem os ônibus turísticos hop on/hop off para diferentes partes da cidade. E é de lá que se concentram os conversíveis antigos mais bonitos e conservados de Havana, com motoristas loucos para te levar para um tour. Negocie bem antes de aceitar.

15. Museo de la Revolución

O que fazer em Havana: visitar o Museu da Revolução
Camilo Cienfuegos e Che Guevara

Provavelmente o museu mais importante de Havana. A entrada é um pouco salgada, mas necessária para quem está em Cuba e queira entender mais a fundo tudo o que ocorreu no país nas últimas décadas.

Antigamente o edifício funcionava como Palácio Presidencial, onde moravam os presidentes que antecederam Fidel Castro. O prédio em si é belíssimo, com seu interior decorado pela, pasmem, Tiffany’s (sim, ela mesma, a joalheria famosíssima de Nova York). Seu salão dos espelhos é um luxo, mesmo estando em reforma quando visitamos. E foi de sua sacada que Fidel fez um de seus discursos mais importantes.

O que fazer em Havana: o Museo de la Revolución
O interior do museu decorado pela Tiffany’s de Nova York

As salas apresentam em ordem cronológica desde o planejamento à execução da Revolução Cubana, com mapas, objetos, roupas, armas e documentos históricos usados pelos próprios Fidel, Che e Camilo. Uma sala dedicada a Che Guevara e Camilo Cienfuegos também vale a pena para entender a história de vida dos principais personagens da revolução.

Em extensão ao museu fica o Pavilhão Granma, onde fica o iate original (chamado Granma) que trouxe os revolucionários liderados por Fidel do México até Cuba, iniciando ali o que viria a ser a Cuba atual. Entre outros objetos do pavilhão se encontram veículos baleados e o caminhão transformado em trator por Camilo.

Não deixe de notar num pedaço da antiga muralha de Havana bem em frente ao museu, um dos únicos fragmentos que restaram desde sua demolição.

Em detalhes: Entenda a visita ao Museu da Revolução no Me Deixa ser Turista, da Talita Marchao, que nos ajudou a montar nossa viagem a Cuba.

16. Museo Nacional de Bellas Artes

O que fazer em Havana: O Palacio Nacional de Bellas Artes

O Museu de Belas Artes de Cuba é dividido em dois: um com arte universal que data desde a pré-história e outro somente com arte cubana. Caso vá visitar apenas um deles, escolha o último que é imprescindível, com obras de artistas cubanos renomados como Winfredo Lam e Raúl Martínez.

17. Prado (Paseo de Martí)

O que fazer em Havana: O Prado, um lindo calçadão em Centro Havana

O Prado foi a primeira rua a ser construída do lado de fora da antiga muralha da cidade, no século XVIII. Recentemente, em 2016, esse passeio ganhou destaque mundial por ter sido usado pela grife francesa Chanel para ser o palco do desfile de sua nova coleção, num momento em que, com Obama no governo americano, parecia que o processo de abertura seria superacelerado.

Construído nos padrões europeus, o Prado tem um enorme calçadão no meio da rua, parecido bastante com as Ramblas de Barcelona. Seu chão de mármore branco e vermelho é diferente de tudo visto na cidade, com bancos em ambos os lados. Lá é onde a vida acontece, especialmente nos fins de semana, quando adolescentes e crianças vão andar de patins, aprender a desenhar e onde os adultos vendem suvenires e fofocam. Um lugar magnífico que vai desde o Parque Central ao começo do Malecón, a avenida à beira mar.

18. Malecón

O que fazer em Havana: O lindo Malecón

Ao listar o que fazer em Havana, caminhar pelo Malecón costuma ser o item número um de muita gente. Malecón é a avenida a beira mar de Havana e um dos lugares mais românticos da cidade. Seu pôr do sol atrai inúmeros namorados e turistas, que querem registrar acontecimento tão bonito. A avenida é larga e vai até o Vedado. É um lugar ótimo para fotografar, com sobrados antigos e coloridos de um lado da rua, e o mar agitado do outro, que vira e mexe molha quem senta na mureta.

Parque Histórico Militar Morro-Cabaña

19. Fortaleza de San Carlos de la Cabaña

O que fazer em Havana: ir a fortaleza assistir ao cañonazo
O cañonazo

Esta é a maior fortaleza de todas as colônias espanholas das Américas. Fica do outro lado da Baía de Havana e serviu como proteção para cidade durante sua colonização. Visitar a estrutura militar é surpreendente, tanto pelo seu tamanho, quanto pelas incríveis vistas da cidade de Havana, lá do outro lado.

Dentro da fortaleza também são encontradas lojas e restaurantes, além de um museu sobre os métodos de defesa da época.

Além disso, foi em um dos setores da fortaleza que Che Guevara escolheu para comandar, após o sucesso da Revolução Cubana. Hoje, o Museo de Comandancia del Che está aberto a visitação e possui alguns cômodos com os móveis e objetos usados pelo guerrilheiro.

O que fazer em Havana
A vista da cidade do outro lado da baía

A maior atração local, no entanto, é o evento chamado de “cañonazo”. Todas as noites, às 21h em ponto, ocorre na fortaleza uma cerimônia teatral em que atores disparam um canhão. A encenação representa o fechamento das muralhas da capital cubana que ocorria desde o século XVIII até o XIX, que foi quando as muralhas que protegiam e cercavam Havana foram derrubadas. O disparo do canhão servia para sinalizar que as portas da cidade seriam fechadas.

20. Castillo de los Tres Santos Reyes Magnos del Morro

O que fazer em Havana: uma linda fortaleza

Construído para proteger a entrada da capital cubana, essa fortaleza fica em uma posição privilegiada a quem quer ter uma linda vista da cidade de Havana. Para subir até o topo é preciso pagar e em seu interior também fica um museu marítimo.

Vedado

Vedado é um bairro mais recente, de avenidas mais largas e menos densamente ocupadas do que as do centro. Ali vivia a alta sociedade de Havana antes da Revolução, que, ao fugir do país, deixou para trás mansões e apartamentos luxuosos. Sua arquitetura, desenvolvida já no período republicano, tem ares mais modernos e sem a aura decadente que dá o charme a Havana Vieja.

21. Plaza de la Revolución

O que fazer em Havana: a Plaza de la Revolución
Os prédios com os rostos de Che e Camilo na Plaza de la Revolución

A Praça da Revolução é um dos maiores cartões postais de Cuba. Lá é onde ficam os dois edifícios – um, o Ministério do Interior e outro, o Centro de Telecomunicações – onde estão colocados os enormes rostos de Che Guevara e Camilo Cienfuegos em suas fachadas, que todos os turistas fazem questão de fotografar. Como dica extra, vale a pena visitar a praça à noite também, já que as figuras dos revolucionários ficam acessas.

A praça em si é enorme e desprovida de árvores, então em dias de sol forte pode ser um pouco desconfortável passear por ela, mas uma ida até lá é mais que obrigação a quem procura o que fazer em Havana. Na parte sul da praça fica o Memorial a José Martí, um ótimo camarote para quem quer ver a praça do alto.

22. Memorial a José Martí

O que fazer em Havana: O Memorial a José Martí

Este memorial é a estrutura mais alta da capital cubana, com uma imponente estátua de José Martí, o grande herói cubano. Para quem acha que Cuba só vive de Fidel e Che, Martí está em todos os cantos como a pessoa que começou o movimento de independência de Cuba da Espanha. Uma visita ao memorial é muito válida, pois possui um ótimo museu sobre o mártir em seu interior e proporciona uma das melhores vistas da cidade do alto de seu obelisco. Não abre aos domingos.

23. Universidad de La Habana

O que fazer em Havana: Visitar a Universidad de la Habana

Local onde Fidel Castro se formou em direito, a Universidade de Havana foi construída por monges no século XVIII e é uma das primeiras das Américas. Possui uma linda entrada, com uma escadaria digna de templos gregos. Em sua praça central fica um tanque de guerra capturado durante a Revolução Cubana. Um museu de antropologia também se encontra no local com artefatos da era pré-colombiana, já mostrando que o tabaco era ali cultivado e “adorado” muito antes do homem branco chegar.

24. Hotel Tryp Habana Libre

O que fazer em Havana: Visitar o Hotel Habana Libre

Hoje chamado Havana Libre, o hotel foi construído como o Hilton de Havana, mas só funcionou como tal durante 9 meses. Com a Revolução Cubana, o hotel foi transformado em quartel dos guerrilheiros, inclusive Castro. Foi dali, do 24º andar do edifício, que funcionou a sede do governo revolucionário durante os primeiros meses pós-Batista.

Muito interessante de se ver um edifício que parou no tempo, mas que ainda é tão requisitado, sendo possível se hospedar ali ainda hoje. Mesmo sem reservar uma noite no hotel é possível passear por seu lobby retrô, cheio de fotografias dos revolucionários posando ali, naquele mesmo local.

25. Hotel Nacional

O que fazer em Havana: O Hotel Nacional é um dos cartões postais do país

O Hotel Nacional é o mais famoso de Cuba e um dos seus mais conhecidos cartões postais. Foi construído na década de 30 e é uma réplica do Breakers Hotel, que fica em Palm Beach, na Flórida. Lá foi palco de importantes acontecimentos na história do país, como quando Fulgêncio Batista deu um golpe no país (o que instigou Fidel Castro a começar sua revolução) e mandou fuzilar oficiais que fugiram para lá pedindo a guarda do embaixador americano que morava ali. Um show de Frank Sinatra também ocorreu no local para maquiar uma grande festa promovida pela máfia americana.

É possível passear por seu lobby e andar por seus jardins, que têm uma linda vista para o Malecón de Havana e para o mar. Sente-se em um de seus cafés e restaurantes e peça drinks, ou então só deixe o tempo passar e assista o pôr do sol de um de seus banquinhos. Lá também ficam algumas trincheiras criadas na época da Crise dos Mísseis de Cuba, que podem ser visitadas.

26. Edifício Focsa e Hotel Capri

O que fazer em Havana: O edifício Focsa e seu restaurante em seu topo
O restaurante do Focsa tem altas vistas de Havana

O Edifício Focsa é um dos mais modernos de Havana e tido como uma das 7 maravilhas da engenharia civil cubana. Na época de sua construção foi considerado o segundo maior prédio em concreto do mundo, perdendo apenas para o Edifício Martinelli, em São Paulo. Era para ser a sede de uma rede de TV cubana, mas com a revolução virou um condomínio de apartamentos.

Em seu espaço existe uma escola, um supermercado e restaurante, sendo este o La Torre, que fica no topo do prédio, um dos mais famosos de Havana, com vistas incríveis de toda a cidade. Quando estivemos lá estava em reformas.

Perto dali o Hotel Capri foi construído pela máfia americana e utilizado por atores famosos de Hollywood. Desde a revolução atraía os turistas por ter se tornado literalmente uma ruína moderna. Já apareceu em inúmeros filmes, mas depois de décadas abandonado, com a abertura recente do país hoje está totalmente reformado, funcionando sob a bandeira NH Hoteles.

27. Callejón de Hamel

O que fazer em Havana: O Callejon de Hamel e toda a sua africanidade

Numa área do Centro próxima ao Vedado, o Callejón é uma viela onde a cultura africana vibra todos os dias. Cuba possui muitas familiaridades com o Brasil e uma das principais se dá quanto às nossas relações com as religiões de matrizes africanas.

Em Cuba, a Santería é uma religião bastante praticada no país, cujos ritos e simbologias se assemelham bastante ao Candomblé do Brasil. No Callejón de Hamel é possível ver danças, onde seus participantes se vestem como orixás e cantam pontos específicos.

As apresentações começam no domingo ao meio dia, mas tente chegar antes caso queira ver mais de perto, pois costuma ficar bastante cheio.

Lojinhas e restaurantes também se encontram no local, mas tome cuidado, tudo ali tem certo ar de pega turista-trouxa, com preços bem absurdos comparados ao resto de Cuba.

28. Necrópolis Cristóbal Colón

Um dos maiores cemitérios das Américas, a Necrópolis é um monumento nacional, cheio de estátuas de mármore impressionantes e que emocionam a quem caminha por ali. Muitos peregrinos vão até lá atrás do túmulo de La Milagrosa, uma senhora que morreu no parto em 1901. Seu corpo foi exumado e estava intacto, e o bebê que fora enterrado aos seus pés, estava em seus braços. Desde então, muitos religiosos vão até lá pedir milagres.

29. Fabrica de Arte Cubano

Imagine isso: uma antiga fábrica de óleo de cozinha de 1910 transformada em galeria de arte e boate. A Fabrica de Arte Cubano é muito popular entre turistas e jovens locais e vale a pena pela vibe do ambiente, bem jovial e descontraído.

30. Playas del Este

As Playas del Este são a melhor opção a quem vai a Cuba e quer ver o Caribe, mas não pretende sair de Havana. As seis praias são muito frequentadas por locais e estão sendo cada vez mais descobertas por turistas, que muitas vezes dizem que são melhores até que Varadero, pois serem menos exploradas por hotéis e menos artificiais.

Por lá há opções para todo tipo de público, sendo a Santa María del Mar a mais procurada por ter uma melhor infraestrutura. Já Boca Ciega costuma atrair a comunidade gay e Tarará é a ideal para fazer mergulho.

As praias ficam um pouco afastadas de Havana, e podem ser acessadas através de táxis (a forma mais cara, a não ser que você consiga dividir com outros turistas), ou de forma mais prática, tomando o ônibus hop on/hop off que vai até lá. É só pegar a linha 3, que sai do Parque Central.

ORGANIZE SUA VIAGEM!

HOSPEDAGEM
No Booking.com estão cadastradas as melhores opções de hotéis e albergues. Reserve com direito a cancelamento gratuito e viaje com mais tranquilidade.
AIRBNB
Já experimentou alugar um apartamento no Airbnb? Ganhe R$100 em créditos para usar em sua primeira reserva no site.
SEGURO VIAGEM
Com a Seguros Promo é possível comparar a cotação de diversas companhias, garantindo o melhor custo/benefício na contratação. Use o cupom VIDACIGANA5 e receba 5% de desconto em seu seguro viagem
ROAD TRIP
Alugue um veículo com a RentCars.com para sua viagem. Compare os preços de diferentes locadoras, pague em Reais, sem IOF e parcelado em até 12 vezes.

Sobre o Autor

Larissa

Larissa é nascida em Niterói/RJ, mas já estudou em Nova York e morou na Nova Zelândia por um ano antes de iniciar a volta ao mundo que terminou em 2016. Sonhando em viajar desde que se entende por gente, mantinha um caderno cheio de recortes de jornais e revistas sobre o Egito quando tinha 7 anos de idade. Hoje esse caderno é virtual e engloba vários destinos. Os “recortes” são produzidos por ela e pelo Carlos, semanalmente, no Vida Cigana.

10 Comentários

Todos os comentários serão moderados previamente conforme as políticas do blog. Serão publicados e respondidos apenas após aprovação.

Clique aqui para deixar um comentário.

House Sitting

rbbv abbv

publicidade