Home » Destinos » Cuba » Como montar um Roteiro em Cuba para uma viagem perfeita
Cuba

Como montar um Roteiro em Cuba para uma viagem perfeita

Roteiro em Cuba: Os carros antigos do país, nas ruas de Havana

Organizar um roteiro em Cuba é o primeiro passo – depois de comprar as passagens – a se dar para ter a certeza de que fará uma viagem inesquecível.

Um roteiro de viagem para Cuba, contudo, não é algo simples de se elaborar. Havana, a capital, concentra a maior parte das atrações que tornaram Cuba um destino turístico tão em voga e, por isso, tomará a maior parte dos dias de seu roteiro. Mas o interior do país com suas praias e cidades históricas não deve ficar de fora da viagem de quem quer conhecer tudo o que Cuba tem a oferecer. No fim, o roteiro de viagem ideal será aquele que conseguir equilibrar bem os dias em Havana e no interior, dando ao turista uma boa perspectiva do que é a vida na ilha.

Ainda assim, nenhum roteiro por Cuba será completo a ponto de se descartar uma segunda viagem ao país. Cuba é tão apaixonante e tão diferente de todos os outros destinos do mundo que, por mais atrações que o turista visite ele nunca terá a sensação de ter visto tudo o que Cuba tem a proporcionar.

Paradoxal, eu sei, como tudo em Cuba.

Saiba mais: Seguro viagem em Cuba é obrigatório a todos os turistas.

Roteiro em Cuba dividido por regiões e temas:

O que fazer em Havana: O lindo Malecón

Para facilitar a compreensão e ajudar a organizar um roteiro por Cuba de acordo com as diferentes expectativas que cada viajante possa ter, vamos dividir abaixo a análise do que visitar e quantos dias ficar por regiões e temas.

Havana e o Oeste de Cuba

Roteiro em Cuba: As casas coloridas de Havana

A primeira dúvida na hora de criar um roteiro de viagem para Cuba é saber quantos dias ficar em Havana. Por mais que isto seja subjetivo, para mim a resposta é uma só: “o máximo que você puder”.

Não acredite se alguém te disser que é possível conhecer Havana em 2 ou 3 dias. Não dá. Quem visita rápido assim está só riscando o destino numa lista. Em Havana o ritmo é outro e são necessários muitos dias pra entrar no compasso – lento – da cidade.

Eu recomendo um mínimo de 4 ou 5 dias em Havana. Mas quem puder reservar até 7 dias no roteiro por Cuba para dedicar à capital não vai se arrepender. Com uma semana também será possível explorar o oeste cubano, a região de Pinar del Rio e o Vale de Viñales, antes de retornar a Havana para seguir viagem para o leste.

Leias mais: O que fazer em Havana: 30 atrações da capital bairro a bairro.

4 ou 5 dias em Havana

O que fazer em Havana: ir até o incrível Capitólio

Mesmo para quem tem um roteiro apertado o ideal é reservar ao menos 4 ou 5 dias em Havana para conhecer as principais atrações da cidade com a calma que merecem. Neste caso seu roteiro pode incluir:

  • 2 dias inteiros dedicados a Havana Vieja e suas praças, passando a noite em seus restaurantes e bares famosos como o El Floridita e La Bodeguita del Medio. Em um destes dias vale fazer um walking tour – há vários que saem do Parque Central – ou rodar a cidade num passeio de carro antigo.
  • 1 dia para explorar o que restar de Havana Vieja usando o fim da tarde para visitar os castelos do outro lado do canal – o Castillo de los Tres Reyes del Morro e o Castillo de San Carlos de la Cabaña. Opcionalmente passe a noite por lá para ver a cerimônia do Cañonazo.
  • 1 dia para visitar os museus de Centro Havana: o Capitólio (caso esteja aberto), o Museu da Revolução e o Museu de Belas Artes. Caminhe pelo Prado, o Paseo de Marti, e veja o por do sol no Malecón.
  • 1 dia para caminhar pelo bairro de Vedado. Veja seus hotéis e construções congeladas no fim dos anos 1950 e passe a tarde no pátio do icônico Hotel Nacional.

7 dias em Havana

Caso consiga fazer um roteiro mais folgado, com 7 dias você terá a opção de incluir:

  • O Vale de Viñales, no oeste do país, a maior região produtora de Tabaco em Cuba. A viagem até lá pode ser feita como um longo bate e volta partindo de Havana, mas é mais bem aproveitada dormindo pelo menos uma noite por lá.
  •  1 dia dedicado às praias do leste de Havana.
  • 1 dia rodando a cidade no ônibus hop-on hop-off que circula por toda Havana.

As praias – Varadero e os Cayos

Roteiro em Cuba: As praias paradisíacas de Varadero

Fora de Havana, as praias do Caribe são o grande destaque em qualquer roteiro de viagem para Cuba. Espalhadas pela ilha há várias localidades onde se concentram resorts superluxuosos, quase todos em sistema all-inclusive.

Os mais famosos – e mais acessíveis – ficam em Varadero, a célebre península distante apenas duas horas de carro de Havana. Mas há outros locais, ainda mais exclusivos, distribuídos por todo o litoral norte da ilha que podem igualmente entrar num roteiro por Cuba. Destes, os que mais frequentemente aparecem no roteiro de quem viaja pela ilha são Cayo Santa Maria, Cayo Coco e Cayo Guillermo.

Na hora de montar seu roteiro em Cuba, é recomendável reservar pelo menos 2 noites para cada destino no litoral. Mas caso você seja rato de praia (e tiver condições financeiras de permanecer mais tempo nestes destinos, que são os mais caros de Cuba) seu roteiro poderá incluir muitas noites mais em cada uma delas.

Varadero

Roteiro em Cuba: As praias caribenhas de Varadero

Varadero é o destino de praia mais conhecido do país e aquele que está presente na maioria dos roteiros de viagem para Cuba.

Sabe aqueles pacotes de viagem para Cuba, normalmente anunciados pelas agências de viagem? O roteiro de quase todos inclui uns dias em Havana e o restante em Varadero. Para uma viagem curta é um esquema ótimo, porque mostra a Cuba real (em Havana) e a artificial (em Varadero) sem precisar de muitos dias para isso.

Essa dobradinha Havana + Varadero é realmente a mais fácil de ser realizada por quem tem pouco tempo no roteiro. Distante cerca de 150 quilômetros de Havana, a ligação entre as cidades pode ser feita em pouco mais de duas horas de carro. Além disso, há muita oferta de transfers particulares entre as duas cidades e as saídas de ônibus pela Viazul são frequentes todos os dias (mas é necessário reservar com antecedência).

Outro ponto a favor de Varadero – em comparação aos demais destinos de praia do país – é a possibilidade de ficar hospedado fora dos resorts. Recentemente o governo permitiu que os moradores da península entrassem no sistema de aluguel de casas particulares, antes proibido na cidade. Com a liberação surgiram várias opções de baixo custo no centro da cidade, com alguns já listados no Airbnb, acessíveis a quem viaja com orçamento apertado.

Se você quer um roteiro em Cuba que seja rápido e prático para conhecer o básico do país, Varadero é certamente a melhor escolha para ser seu destino de praia.

Cayo Santa Maria

Cayo Santa Maria é uma opção de destino de praia mais exclusiva do que Varadero, por ser mais distante de Havana e não contar com opções de hospedagem fora dos resorts.

Da mesma forma que Varadero forma um belo par no roteiro de viagem de quem sai de Havana, Cayo Santa Maria faz dupla com Santa Clara, a “cidade de Che”, distante pouco mais de 100 quilômetros dali.

No Cayo não só não há hospedagem além dos resorts, como não há qualquer tipo de estrutura fora deles. Ainda assim alguns mochileiros mais criativos conseguem colocar as praias do Cayo no roteiro. O esquema é ficar hospedado em Remédios, a última cidade antes da estrada que leva à área dos resorts e de lá contratar algum transporte de ida e volta até as praias (levando consigo o que for consumir).

Para visitar o Cayo Santa Maria considere um transfer particular para te levar ao seu resort. Existem viagens de ônibus com a Viazul, mas só vão até o Cayo na alta temporada. Nos demais meses a parada final é em Remédios.

Cayo Coco e Cayo Guillermo

Ainda mais distantes e isolados, Cayo Coco e Cayo Gullermo entram normalmente na viagem por Cuba apenas daqueles viajantes cujos roteiros não tenham restrições quanto ao tempo e ao orçamento.

Não que sejam destinos caros. O padrão dos resorts é o mesmo de Varadero e Cayo Santa Maria. Mas a dificuldade de acesso encarece bastante o transporte e para economizar é preciso ter bastante disposição e tempo disponível no roteiro.

Cayo Coco, o maior deles, fica a mais de 500 quilômetros de Havana. Para chegar em Cayo Guillermo são outros 45 quilômetros adicionais.

A cidade grande mais próxima é Ciego de Ávila. Ali chegam os ônibus da Viazul, mas de lá até os Cayos só é possível seguir de táxi ou transfer (86 quilômetros até Cayo Coco).

Com este panorama, muitos turistas acabam partindo para uma solução mais prática: os voos internos em Cuba. Cayo Coco tem um aeroporto que recebe voos vindo de Havana e Santiago de Cuba. Caso queira comprar com antecedência você pode testar fazer a reserva no site da Aerogaviota.

Em Cuba, no entanto, o mais comum é fazer este tipo de reserva junto às agências de viagem cubanas, como a Cubatur ou Cubanacan. Nas agências você pode também checar se, dependendo da demanda, há algum ônibus saindo aos Cayos na sua data. De Havana a Cayo Coco serão cerca de 10 horas de viagem.

As cidades da região central – Trinidad, Cienfuegos e Santa Clara

Na região central de Cuba, três cidades se destacam turisticamente por representarem bem a evolução histórica do país nos períodos colonial, moderno e contemporâneo. São respectivamente: Trinidad, Cienfuegos e Santa Clara.

Pela relativa proximidade com Havana, na antiga província de Las Villas (hoje desmembrada), tais cidades entram facilmente em um roteiro de viagem para Cuba. Elas servem como excelente complemento à experiência vivida em Havana e nas praias mais famosas.

Trinidad

A quatro horas de Havana (ou até sete nos ônibus da Viazul), Trinidad é a mais distante das três em relação à capital. E isto vale tanto para a geografia quanto ao tempo histórico.

Trinidad é uma cidade que floresceu nos tempos coloniais, com o sucesso da produção do açúcar no Valle de los Ingenios, perto dali. Com o declínio do cultivo, a cidade ficou abandonada e esquecida, mas com sua arquitetura preservada. Após o reconhecimento local como patrimônio da UNESCO, Trinidad ficou sob os holofotes do turismo e hoje faz parte do roteiro de quase todos os turistas que viajam pelo interior do país.

Além da arquitetura colonial, um roteiro de viagem para Cuba costuma incluir uma parada em Trinidad por conta da proximidade com a Playa Ancón, considerada a mais bonita do litoral sul cubano.

Para organizar seus dias em Trinidad, você pode reservar:

  • 1 dia para conhecer a cidade e suas edificações preservadas
  • 1 dia para fazer um bate e volta até a Playa Ancón (de ônibus, táxi ou até de bicicleta)
  • Opcionalmente +1 dia para visitar o Valle de los Ingenios

Leia mais: Trinidad, Cuba: 7 atrações para incluir num roteiro pela cidade.

Cienfuegos

Cienfuegos é outra das cidades cubanas reconhecidas como patrimônio mundial da UNESCO. No caso dela a distinção se dá pela preservação de sua arquitetura neoclássica e eclética do século XIX e começo do século XX. Cienfuegos foi o primeiro conjunto urbano do Caribe a representar as ideias de modernidade refletidas neste tipo de arquitetura.

Os maiores exemplos arquitetônicos estão todos ao redor da praça principal, o Parque José Martí: o Palácio do Governo, a Casa Provincial de la Cultura e o Colégio San Lorenzo.

Caso inclua Cienfuegos em seu roteiro por Cuba, uma passagem rápida pela cidade pode ser suficiente.

Santa Clara

O que fazer em Santa Clara: Visitar o Monumento Ernesto Che Guevara

Bem no meio da ilha, Santa Clara serviu também como divisão do país no momento mais significativo de sua história.

Durante a Revolução Cubana, foi em Santa Clara que ocorreu a última batalha entre o exército revolucionário – liderado na ocasião por Che Guevara – e os homens de Batista. Com a derrota na batalha que recebeu o nome da cidade, Fulgencio fugiu para a República Dominicana e abriu caminho para o triunfo da revolução, em janeiro de 1959.

Pela simbologia da batalha e pelo ícone revolucionário que se tornou na década seguinte, Che Guevara é o grande motivo que leva os turistas a incluírem uma parada na cidade num roteiro de viagem para Cuba. As atrações de Santa Clara são quase todas voltadas à vida e à morte do guerrilheiro argentino.

Caso seu interesse na cidade seja apenas em função dos monumentos em homenagem a Guevara, um dia pode ser suficiente para visitar o mausoléu e o monumento à toma do trem blindado. Mas, particularmente, recomendo que se reserve um dia a mais para ver também a Fábrica de Charutos, o café revolucionário e ver a vida noturna da cidade.

Leia mais: O que fazer em Santa Clara: A “cidade de Che Guevara” em Cuba.

Santiago de Cuba e o Oriente

O Oriente cubano forma quase um outro país dentro de uma só ilha. Por seu isolamento e dificuldade de acesso, são poucos os turistas que incluem o oriente num roteiro por Cuba. Mas os que o fazem são recompensados ao conhecer uma parte do país que, por mais uniforme que seja, ainda tem internamente enormes diferenças culturais.

Este “outro país” formado pelo oriente cubano tem, inclusive, sua própria capital: Santiago de Cuba, a segunda maior cidade do país, berço da revolução e grande centro de efervecência cultural cubano.

Quem visita o Oriente, necessariamente passará por Santiago e usará a cidade como base para explorar outros locais próximos. Como o transporte nesta parte do país é ainda mais limitado do que nas províncias mais próximas a Havana, a melhor saída pode ser alugar um veículo (procure nas agências de viagem locais) ou seu roteiro ficará dependente dos táxis coletivos (com sérias consequências para o orçamento de viagem).

Um roteiro em Cuba que passe pelo Oriente deverá reservar pelo menos 3 dias para visitar Santiago de Cuba com a calma necessária. Inclua em seu itinerário:

  • O Quartel Moncada, hoje considerado o melhor museu de Cuba, foi onde se iniciou a luta revolucionária e nasceu o Movimento 26 de Julio.
  • O Cemitério Ifigenia, onde estão os mausoléus de José Martí e Fidel Castro.
  • O Castelo San Pedro de la Roca.
  • A Catedral Nossa Senhora da Assunção.

Além de Santiago, quem visita o Oriente ainda pode reservar mais alguns dias de seu roteiro para incluir passagens por cidades como:

  • Camaguey, que com suas ruas labirínticas serve como parada estratégica a quem atravessa o país por terra.
  • Holguín, para explorar as praias da região de Guardalavaca, as melhores do Oriente.
  • Bayamo, uma das cidades mais isoladas do país, que pode ser usada para explorar a província de Granma, repleta de locais simbólicos para a Revolução Cubana.
  • Baracoa, a capital gastronômica de Cuba.

ORGANIZE SUA VIAGEM!

HOSPEDAGEM
No Booking.com estão cadastradas as melhores opções de hotéis e albergues. Reserve com direito a cancelamento gratuito e viaje com mais tranquilidade.
AIRBNB
Já experimentou alugar um apartamento no Airbnb? Ganhe R$100 em créditos para usar em sua primeira reserva no site.
SEGURO VIAGEM
Com a Seguros Promo é possível comparar a cotação de diversas companhias, garantindo o melhor custo/benefício na contratação. Use o cupom VIDACIGANA5 e receba 5% de desconto em seu seguro viagem
ROAD TRIP
Alugue um veículo com a RentCars.com para sua viagem. Compare os preços de diferentes locadoras, pague em Reais, sem IOF e parcelado em até 12 vezes.

Sobre o Autor

Carlos

Carlos nasceu em Petrópolis/RJ. Quando tinha 20 anos decidiu que, sozinho, viajaria para o lugar mais distante que pudesse com o primeiro dinheiro que conseguiu acumular. Após muita pesquisa e economia, saiu do país pela primeira vez e rodou por quatro países. De ônibus. Nos anos seguintes dificilmente havia um em que não estivesse planejando outra viagem. Hoje o produto destas pesquisas é compartilhado publicamente aqui, no Vida Cigana.

5 Comentários

Clique aqui para deixar um comentário.

  • Ola !
    Adorei as dicas ,pretendo ir ano que vem para Cuba.

    Precisa ter o certificado internacional de vacina ,contra a febre amarela ? Eu lí em um lugar que é recomendavel.

    Sabe de algo ?

  • Muito obrigado pelas informações, Larissa! Fiquei bem mais tranquilo ao saber disso!!!! Estava bem preocupado sobre quanto de dinheiro levar. Mesmo sendo bem econômico, bate aquele receio do dinheiro acabar e não ter um caixa eletrônico para saques de forma fácil.
    Sobre a hospedagem, vou fazer isso mesmo. Reservei uma casa pelo airbnb e o proprietário já me adiantou que pode me ajudar a conseguir um lugar para ficar nas outras cidades.
    Muito obrigado pelas dicas!!!

    • Ah sim, eu super entendo seu receio! Cuba ainda tem seus mistérios em relação ao turismo hehehe
      Se precisar de hospedagem em Havana, escrevemos hoje mesmo um texto sobre as casas de família lá, e temos o contato da que ficamos, que foi uma das melhores experiências da vida! Abraços!

  • Boa noite, Carlos! Tudo bem?

    Primeiramente agradeço pelas importantes dicas de roteiro descritas por você!!! Irei a Cuba no meio do mês de junho desse ano. Estou com duas dúvidas… A primeira: vou ficar 13 dias na ilha e no geral sou bem econômico. Estou levando 1000 euros. Será que é o suficiente?
    A segunda dúvida: É possível sair de Havana para outras cidades sem ter a hospedagem reservada? Por exemplo, se eu decidir ir a outra cidade que não estava no roteiro, é fácil arrumar um lugar para ficar?
    Agradeço desde já! Abraços

    • Oi Leandro, tudo bem? Larissa respondendo aqui hehehe
      Então, com 1 mil euros/13 dias pra uma pessoa dá e sobra! Nós gastamos quase isso pelo mesmo período para os 2.
      Sobre a segunda dúvida, até dá, mas eu aconselharia a você, ao chegar em sua hospedagem em Havana, pedir para que o dono da casa em que você for ficar te recomendar algum lugar e pedir para ligar de lá mesmo para reservar. É mais confiável e você não cai nos truques dos jineteros ao chegar em uma cidade nova.

House Sitting

rbbv abbv

publicidade